ESCOLA COMUNITÁRIA MARAMAR

A Escola Comunitária Maramar está localizada na Península de Maraú, no Sul da Bahia, e atende hoje gratuitamente 78 crianças do maternal ao 4º ano do ensino fundamental. Cerca de 80% das crianças vêm de famílias de baixa renda e em vulnerabilidade socioeconômica da região do Saleiro e Cassange. A Escola inspira-se na Pedagogia Waldorf, em outras pedagogias inovadoras e nos saberes locais. Atuamos atendendo às necessidades de cada criança individualmente, com o objetivo de promover autonomia e transformação social por meio da educação.

Além da atuação como escola formal, a escola também oferece no Espaço  Harmonia do Saleiro aulas de música e outras oficinas gratuitas para toda a comunidade de todas as faixas etárias.

HISTÓRIA

A Escola Comunitária Maramar nasceu de um sonho coletivo dos sócios da Pousada Lagoa do Cassange, Isney, Marcelo e Flavio, de contribuir para o desenvolvimento social e sustentável da sua comunidade por meio da educação.

A primeira ação foi a de oferecer as aulas de alfabetização para a equipe da pousada, o que rapidamente evoluiu para o projeto “Aprender para Preservar”, iniciado em 2008. Este projeto ofereceu, ao longo de três anos, a oportunidade de estudar e concluir o ensino médio para 36 jovens e adultos, com o reconhecimento do MEC. A conclusão do ensino médio por esses jovens foi um fato inédito na pequena comunidade ao redor da Pousada.

Por conta do sucesso alcançado, a comunidade pediu para dar continuidade aos projetos de educação, ao passo que em 2011 nasceu o Jardim das Bromélias, um jardim de infância inspirado na Pedagogia Waldorf. Na época, atendia cerca de 30 crianças em duas turmas, em salas emprestadas pela Pousada Lagoa do Cassange. O Jardim das Bromélias surgiu com o objetivo de oferecer uma educação voltada ao desenvolvimento de seres humanos criativos, ativos, felizes e construtores de um mundo melhor. Desde o início, é uma escola social e inclusiva, onde estudam crianças de diversas realidades socioeconômicas, variadas origens e raças. Essa diversidade e união é algo por si só inovador e raro no nosso país.

Em 2016, recebemos a doação de um terreno dentro da comunidade do Saleiro, local de onde vinham a maioria dos nossos alunos. Lá, com o apoio da comunidade e uma campanha de financiamento coletivo em parceria com a Garupa.org.br, foi construído o Espaço Harmonia do Saleiro, um Centro Cultural amplo com uma praça ao redor, com o objetivo de se tornar um local de lazer e trocas dentro da comunidade. Com o Centro Cultural nasceu o Projeto Nascer do Som, que vem, com o apoio do Instituto Mahle, há 5 anos promovendo a criatividade e o desenvolvimento pessoal e comunitário por meio de aulas gratuitas de música, trabalhos manuais, artísticos e culturais. Ao longo dos anos, o projeto Nascer do Som já atendeu mais de 200 pessoas e ofereceu mais de 1.800 horas de oficinas.

Foi também em 2016 que nasceu o ensino fundamental da Escola Comunitária Maramar, a partir da necessidade de dar continuidade a uma turma da escola Waldorf parceira Jardim do Cajueiro. A Escola teve início com o 6º ano do ensino fundamental, com 15 alunos, e as aulas aconteceram provisoriamente na Praça.

Com a ajuda e a doação de muitos, dentre eles famílias e indivíduos brasileiros, além de fundações internacionais, como Freunde der Erziehungskunst e Fly & Help, em 2017 teve início a construção da sede própria da Escola num terreno doado no bairro do Saleiro, em meio à Mata Atlântica. O ensino fundamental possuía 22 alunos nessa época, além de 40 crianças no jardim de infância. A obra durou o ano todo e em fevereiro de 2018 inauguramos as primeiras três salas da Escola Comunitária Maramar.

Em 2018, o ensino fundamental da Maramar já contava com 40 alunos em turmas multisseriadas. Foi nessa época que os educadores do ensino fundamental começaram a se capacitar em outras pedagogias inovadoras e passaram a utilizar a Pedagogia de Projetos e Montessoriana, além de ferramentas de alfabetização mais estruturadas.

O segundo bloco de salas de aula começou a ser construído no início de 2019, com novas doações de fundações internacionais e de pessoas físicas. Neste momento, a Escola possuía 38 alunos em turmas multisseriadas do ensino fundamental e 27 alunos no ensino infantil. Foi neste ano também que pela primeira vez uma turma de primeiro ano do ensino fundamental veio diretamente do Jardim das Bromélias. Com a base recebida por essas crianças no Jardim e o excelente preparo e disponibilidade das educadoras responsáveis, 85% das crianças dessa turma chegaram ao final do ano alfabéticas¹, um índice mais do que excelente num local em possui uma taxa de analfabetismo altíssima, na casa dos 28% (dado de 2010 – Datasus), e que está bem acima da média brasileira, que era de 9% em 2010.

Em fevereiro de 2020 as quatro novas salas de aula ficaram prontas e, pela primeira vez, o jardim e o ensino fundamental se uniram num mesmo lugar. Com 8 salas de aula, 13 banheiros, campinho, meliponário e espaço de agrofloresta pedagógica, a Escola Maramar abrigou todas as 128 crianças da região, com 3 turmas de ensino infantil e turmas do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental, incluindo uma turma exclusiva para alunos de 12 a 17 anos, em distorção idade/série. O atendimento a todas as crianças da

1. Na etapa ou hipótese alfabética as crianças compreendem o sistema de escrita, o alfabeto, entendendo que cada um dos caracteres corresponde a um valor sonoro. Crianças nessa etapa conseguem ler e escrever.

SITUAÇÃO ATUAL

Até o momento, o convênio com a Secretaria Municipal de Educação não foi renovado após a mudança na gestão pública e por isso, a Escola tem passado por diversas dificuldades financeiras. Estamos em negociação com o poder público e seguimos buscando fontes de financiamento privadas, como editais, doadores recorrentes e pontuais, apadrinhamento de crianças e campanhas.

Hoje, apesar dos desafios financeiros, a Escola Maramar atende 78 crianças, das quais 41 no ensino infantil e 37 no ensino fundamental, em turmas do 1º ao 4º ano .

A pluralidade de público, com crianças de origens e realidades socioeconômicas tão diferentes, — uma exceção no Brasil — é um tesouro que torna esta escola ainda mais inovadora no contexto da integração socioeconômica e da diminuição da desigualdade social por meio do acesso à educação.

Para proporcionar uma educação de qualidade e garantir acesso à cultura para todas as crianças, a Escola Comunitária Maramar conta com a força das educadoras e educadores, em sua maioria grandes talentos da comunidade local. Além disso, são os apoiadores, doadores, parceiros, madrinhas e padrinhos de crianças que conseguem hoje manter a escola financeiramente, o que tem se mostrado cada vez mais desafiador especialmente considerando o contexto atual da pandemia.

Todos juntos, atuando com o intuito de fortalecer a formação das crianças rumo ao desenvolvimento humano integral e pleno, formam assim a grande família Maramar.